Esqueci minha senha

Doubutsu News

TRIBUTO A UM CÃO E A HISTÓRIA DE HACHIKO

Filhote da raça PUG

 

 

“... o mais altruísta dos amigos que um homem pode ter neste mundo egoísta, aquele que nunca o abandona e nunca mostra ingratidão ou deslealdade, é o cão”.

 

“Senhores jurados, o cão permanece com seu dono na prosperidade e na pobreza, na saúde e na doença. Ele dormirá no chão frio, onde os ventos invernais sopram e a neve se lança impetuosamente. Quando só ele estiver ao lado de seu dono, ele beijará a mão que não tem alimento a oferecer, ele lamberá as feridas e as dores que aparecem nos encontros com a violência do mundo. Ele guarda o sono de seu pobre dono como se fosse um príncipe. Quando a riqueza desaparece e a reputação se despedaça, ele é constante em seu amor como o Sol na sua jornada através do firmamento. Se a fortuna arrasta do dono para o exílio, o desamparo e o desabrigo, o cão fiel pede o privilégio maior de acompanhá-lo, para protegê-lo contra o perigo, para lutar contra seus inimigos. E quando a última cena se apresenta, a morte o leva em seus braços e seu corpo é deixado na laje fria, não importa que todos os amigos sigam seu caminho: lá ao lado de sua sepultura se encontrará seu nobre cão, a cabeça entre as patas, os olhos tristes mas em atenta observação, fé e confiança mesmo à morte.”

 

Fonte: Tributo a um cão, prospecto PURINA.

 

 

 

 

 

 

HACHIKO: Um Caso de Fidelidade Exemplar

A história é muito conhecida no Japão há bastante tempo; Hachiko ia só pela estação de trem esperar seu dono, um professor de uma universidade. O cão aparecia pontualmente a cada noite e o homem e o animal voltavam juntos para casa. Depois da morte do seu dono, o cão continuou indo à estação durante dez anos para esperar o trem chegar. Não vendo o seu dono, retornava sozinho e triste, e voltava no dia seguinte.

Hachiko e o professor ...

Comovidos, os funcionários da estação e crianças davam de comer a Hachiko e cuidavam das suas feridas de brigas com outros cães. Quando morreu, ergueram para ele uma estátua na estação de Shibuya, em Tóquio. Na mesma estação nomearam a um Akita Inu chefe honorário da estação por um dia no centenário da Yamamoto (uma célebre linha de ferrovias do Japão). A pele de Hachiko é mantida no museu de Ueno, e muitos livros infantis foram editados contando a história do famoso cão.

Estátua de Hachiko no Japão



Share |